Sites Grátis no Comunidades.net
Translate this Page
ENQUETE
Como é seu hábito de leitura da Bíblia?
Leio todos os dias.
Leio de vez em quando.
Não leio a Bíblia.
Ver Resultados

Rating: 2.8/5 (422 votos)




ONLINE
1





Partilhe este Site...



 

 

 


A Família Sob Ataque
A Família Sob Ataque

INTRODUÇÃO
Estamos diante de uma batalha espiritual, a nossa luta não é contra sangue e carne, e sim contra os principados e potestades da região celeste (Ef. 6.12). A família também está na mira do inimigo e das suas hostes. A lição de hoje trata justamente a respeito dos ataques externos e internos que a família cristã recebe nos dias atuais. Ao final, mostraremos, com base na orientação paulina de Ef. 6.10-18, a necessidade de nos revestir de toda armadura de Deus para vencer essa batalha.
 
1. ATAQUES EXTERNOS CONTRA A FAMÍLIA
A família cristã é alvo de ataques de natureza externa, isto é, de forças que veem de fora, e que tentam desconstruí-la. Uma das principais ameaças à família é o secularismo que predomina na sociedade contemporânea. Secularismo é uma forma de pensar que se opõe a Deus, e que pode ser mais bem definido como mundanismo (I Jo. 2.15). O secularismo é uma doutrina humanista, que partem de sofismas que enganam as pessoas e as distancia de Deus (Cl. 2.8). Esses sofismas estão presentes em vários contextos institucionais, dentre eles destacamos: as leis e a educação. O secularismo, em sua atuação mais engajada, se propõe a afrontar os princípios judaico-cristãos. Por causa disso, os ativistas buscam influenciar a sociedade para que essa aceite com naturalidade as mudanças secularistas por eles propostas. O uso da mídia é bastante influente nesse sentido. Os meios de comunicação de massa repassam valores contrários àqueles exarados na Palavra de Deus. As novelas, noticiários e entrevistas televisivas defendem práticas contrárias aos princípios cristãos para o casamento à família. Na medida em que a sociedade aceita essas práticas, os políticos atuam no congresso com o objetivo de modificar as leis e aprovar leis que nada têm de bíblicas. A educação também tem sido amplamente utilizada a fim de que, desde cedo, as crianças acatem modelos alternativos, e antibíblicos, de família. O próprio Estado favorece essas políticas, justificando que se trata de direito das minorias. Livros didáticos são patrocinados pelo Estado com textos e imagens que contrariam o modelo cristão de família: monogâmico, heterossexual e indissolúvel. Esses sofismas secularistas objetivam desconstruir o padrão bíblico de família. A família cristã pode ser afetada por essa visão. As crianças são as que mais sofrem, pois não dispõem de maturidade, e muito menos de fundamentação bíblica para se enfrentar esses sofismas. 
 
2. ATAQUES INTERNOS CONTRA A FAMÍLIA
Mas a família cristã não sofre apenas ataques de fora, ela é também ameaçada por forças internas. A indisciplina é um grande problema que a família tem tido dificuldade para resolver. O liberalismo social, que nega Deus e sustenta o materialismo, tem empoderado exageradamente as crianças. A programação televisiva, que também está à disposição dos cristãos, mostra a desobediência como algo natural. Por causa disso, mesmo os filhos de cristãos não querem mais obedecer aos seus pais, que é um mandamento bíblico (Ef. 6.2).  O desempoderamento dos pais, por sua vez, contribui para a formação de uma geração de rebeldes, que não se submete às regras, nem as humanas e muito menos às divinas. O ambiente familiar torna-se extremamente traumático, pais e filhos findam feridos, com sementes que amargura, que destroem os relacionamentos. O ritmo de trabalho dos pais pode favorecer essa condição, alguns trabalham demais, não têm mais tempo para os filhos. Quando voltam para casa, ligam a televisão ou o computador, ninguém dá a mínima atenção ao outro. Ao invés de lerem a Bíblia, e orarem, as famílias cristãs estão na mesma prática das famílias não cristãs. O entretenimento ocupa papel primário nas decisões da família, a vida devocional praticamente não existe. As visitas aos shoppings e as viagens de passeio não é pecado, contanto que não comprometam os momentos devocionais e particulares das famílias. Uma família que é cristã deve viver como tal, não a partir de valores meramente humanos. Os cristãos não precisam se envergonhar de viverem como tais. A sociedade, respaldada em suas leis e propostas educacionais, não podem interferir no cotidiano da família cristã. A atuação de pai, mãe e filhos, dentro do paradigma cristão, deve ser cultivado com respeito. Crianças, jovens e adultos, de uma família cristã, precisam estar cientes que vivem de modo diferente, não de acordo com o mundanismo, mas em conformidade com a Palavra de Deus (Ef. 5.22-33).
 
3. ENFRENTANDO OS ATAQUES CONTRA A FAMÍLIA
Diante dos ataques externos e internos que a família cristã sofre, faz-se necessário que essa esteja preparada para enfrentar os ataques do Inimigo. Para tanto, devemos estar revestidos de toda armadura de Deus (Ef. 6.11), “fortalecidos no Senhor e na força do seu poder” (Ef. 6.10), para enfrentar as astutas ciladas de Satanás (Ef. 6.13-18). Uma família protegida contra os ataques do Inimigo cinge os lombos com a verdade, não com a mentira que Satanás tenta propagar, usando inclusive a mídia televisiva (Ef. 6.14). Ele é o pai da mentira, e mentiu desde o princípio, fazendo com que Adão e Eva se distanciassem da Palavra de Deus (Gn. 3.4-6; Jo. 8.44). A família cristã não se veste com os trapos que o mundo oferece, mas com a justiça de Deus (Ef. 6.14). A justiça de Deus é o evangelho de Jesus Cristo, cujo fundamento é o reconhecimento do pecado e a justificação por meio dAquele, por Seu Espírito, nos conduz à santificação (Rm. 1.17; 8.14). A família cristã calça os pés com a preparação do evangelho da paz (Ef. 6.15). O mundo está em guerra, os conflitos são considerados normais, mas os crentes vivem em paz, primeiramente desfrutam a paz de Deus (Rm. 1.7; 5.1), e a paz com Deus, para também conviverem em paz uns com os outros (Fp. 4.7). Para apagar os dardos inflamados do Maligno, a família cristã utiliza o escudo da fé (Ef. 6.16). É fé que vence o Inimigo (I Pe. 5.9) e o mundo, com seus sofismas anticristãos (I Jo. 5.4,18).   A família cristã recorre ainda ao capacete da salvação e à espada do Espírito (Ef. 6.17). Enquanto o mundo caminha para a perdição, a esperança da família cristã é a vida eterna, a salvação plena em Cristo Jesus (Rm. 5.5). A espada do Espírito é a Palavra de Deus, poderosa para confrontar os ataques de Satanás (Hb. 4.12; Ap. 1.16; 2.12).
 
CONCLUSÃO
Nesses dias difíceis, nos quais a família cristã tem sofrido ataques externos e internos, faz-se necessário que os crentes tenham consciência dessa luta renhida, que não é contra sangue e carne, mas contra o próprio Satanás. Diante desses ataques, precisamos nos fortalecer no Senhor, usando a Sua armadura, atuando em todas as frentes, vigiando com toda perseverança, mas sem desprezar a oração, por meio da qual receberemos poder de Deus para enfrentar as forças dos principados e potestades deste mundo tenebroso (Ef. 6.18).
 
BIBLIOGRAFIA
COLSON, C., PEARCEY, N. E agora, como viveremos? Rio de Janeiro: CPAD, 2002.
KOSTENBERGER, A. J. JONES, D. J. Deus, Casamento e Família: reconstruindo o fundamento bíblico. São Paulo: Vida Nova, 2011.
 
Fonte:Blog do Pb. José Roberto A. Barbosa