Sites Grátis no Comunidades.net Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis
Translate this Page
ENQUETE
Como é seu hábito de leitura da Bíblia?
Leio todos os dias.
Leio de vez em quando.
Não leio a Bíblia.
Ver Resultados

Rating: 2.8/5 (422 votos)




ONLINE
2





Partilhe este Site...



 

 

 


Um homem de Deus em depressão
Um homem de Deus em depressão

INTRODUÇÃO
A depressão é considerada por muitos especialistas da área da saúde como o mal do século. Essa condição psicológica afeta a pessoa como um todo – corpo, alma e espírito. Na aula de hoje mostraremos que homens e mulheres de Deus também podem ser acometidos de depressão. Mas a depressão não é o fim, existe possibilidade de cura, apesar de tudo é possível encontrar alegria.
 
1. DEPRESSÃO, UMA ANÁLISE PRELIMINAR
Existem muitos equívocos em relação à depressão, o primeiro deles é achar que esta é decorrente de pecado. Qualquer pessoa pode passar por desequilíbrio químico no corpo, principalmente na velhice. A depressão somente é resultante de pecado quando essa é decorrente de escolhas erradas. É possível também que o distanciamento de Deus contribua para o agravamento do quadro. A opção pela ira e amargura, ao invés do perdão, pode contribuir para a depressão. A depressão pode ser pecaminosa quando for usada para manipular as pessoas, bem como culpar Deus e outros pela infelicidade. Dentre os sintomas da depressão destacamos: diminuição do prazer em atividades usuais; mudanças significativas do apetite ou de peso, fadiga ou perda de energia; diminuição da habilidade de pensar com clareza, avaliar e se concentrar; movimentos mais lentos ou agitados; aumento ou perda do sono; sentimentos de inutilidade ou de culpa excessiva e pensamentos suicidas. Existem casos de depressão que precisam ser tratados por especialistas, e nada há de pecado nisso, pois as condições físicas podem influenciar na depressão. Há situações que a depressão pode ser tratada com eficácia por um psicólogo ou psiquiatra. Ainda há muito preconceito no meio evangélico a esse respeito. Isso porque alguns cristãos confundem depressão com falta de espiritualidade. Entre os fatores físicos que contribuem para a depressão destacamos: desequilíbrio hormonal (alterações químicas no cérebro durante a puberdade, pós-parto, menopausa); medicamentos (analgésicos, esteroides e anticoncepcionais); doenças crônicas (deficiência na tireoide);  temperamento melancólico (pessoas analíticas e críticas); alimentação inadequada (associada à falta de repouso e de exercício físico) e vulnerabilidade genética (pessoas com histórico familiar têm propensão).
 
2. HOMENS E MULHERES DE DEUS SE DEPRIMEM
Homens e mulheres de Deus também são vulneráveis à depressão, existem vários exemplos bíblicos disso, o mais conhecido dele é o do profeta Elias, a partir do qual podemos extrair algumas lições. A situação de Elias não pode ser generalizada, mas contribui para compreender alguns casos de depressão. Diante da ameaça de Jezabel, o profeta do Senhor deixou de ver as coisas claramente, a partir do ângulo de Deus. A esposa do rei Acabe poderia até marta Elias, mas não seria capaz de exterminá-lo, pois Deus é o dono da vida. Ele está sempre no controle das situações, mas nem sempre atentamos para essa verdade. Elias também se afastou de relacionamentos encorajadores. Ele se distanciou do “seu moço” e “foi ao deserto, caminho de um dia”. A ausência de pessoas que influenciem positivamente, e a presença de outras que o fazem negativamente pode levar à depressão. O profeta havia sido vitorioso no Monte Carmelo, mas não se apercebeu da sua conquista, focou o seu olhar em outra direção. Ele também ficou exausto e emocionalmente abalado, o estrasse o conduziu àquele estado. Por fim, ele se entregou à autocomiseração, colocou-se como vítima, achando que era melhor do que seus pais. Deus encontrou Elias naquela condição, e o conduziu para que saísse daquela situação. A princípio permitiu que ele tivesse um momento de descanso. Em seguida, falou com ele, indagando-o sobre sua angústia, levando-o a verbalizá-la (I Rs. 19.9,10). Deus atuou na vida de Elias a fim de tirá-lo daquela situação: 1) dando-lhe refrigério físico, providenciando-lhe descanso, comida e bebida; 2) o desafiou mentalmente a olhar para si mesmo, e verbalizar suas preocupações; 3) fortaleceu-lhe emocionalmente mostrando o Seu poder; 4) deu-lhe uma atribuição a fazer e o encorajou a retornar ao trabalho; e 5) providenciou para ele uma companhia para ficar ao seu lado.
 
3. COMO LIDAR COM A DEPRESSÃO
Os familiares da pessoa deprimida devem compreender a situação e ter o cuidado para não fazer julgamentos inapropriados. Conforme já destacamos anteriormente, qualquer pessoa, inclusive um cristão dedicado, pode ficar deprimida. A própria depressão não significa que uma pessoa não está em comunhão com Deus. Pode acontecer justamente o contrário, a situação pode ser usada para aproximar mais a pessoa de Deus. O mundo no qual nos encontramos é deprimente, por isso não é incomum as pessoas irem da euforia e hiperatividade para a tristeza. Elias ficou decepcionado, inclusive com Deus, e isso intensificou sua depressão. Até mesmo algumas igrejas locais podem contribuir para a depressão. Contextos eclesiásticos marcados pela competitividade, isolamento e ostentação favorecem a depressão. Isso porque a depressão distorce a realidade, as pessoas ficam emocionalmente abaladas, pois não conseguem alcançar os padrões exigidos pelo contexto. Precisamos aprender a relaxar e encontrar refrigério em Deus, Ele nos dará força suficiente para a restauração. O período da depressão é mais susceptível aos ataques de Satanás, o inimigo se aproveita quando estamos fracos e debilitados (Mt. 4.1-11). A ansiedade, aliada à depressão, pode aumentar o problema, por isso, é preciso aprender a depender cada vez mais de Deus, e menos das condições materiais (Mt. 6.25; Fp. 4.6,7). Para ajudar uma pessoa deprimida, é preciso estudar a respeito da depressão, para evitar avaliações precipitadas (Pv. 23.12); identifique se há intenções suicidas, ainda que a pessoa não goste (Pv. 18.21); e afaste as prováveis possibilidades de que isso venha a acontecer (Pv. 18.4); seja um parceiro compreensivo, não a abandone (Ec. 4.9); converse sempre que possível com essa pessoa, mesmo que seja por telefone (Pv. 16.21); dê oportunidade para a pessoa se expressar, valorize esses momentos (Tg. 1.19); não tenha receio de falar sobre a depressão, conversar ajuda bastante (Pv. 25.11); o encorajamento também (I Ts. 5.11).
 
CONCLUSÃO
Elias passou pelo vale angustiante da depressão, muitos, ao longo da história, têm seguido o mesmo percurso. Deus pode atuar na vida das pessoas, mesmo aquelas que são susceptíveis à depressão. Os conflitos do cotidiano, semelhantes àqueles pelos quais o profeta passou, podem resultar em tal condição. Mas precisamos avaliar cada caso, se necessário, procurar um especialista, mas não deixar de confiar em Deus, pois Ele pode dar o refrigério providencial para encontrarmos “uma luz no fim do túnel”.
 
BIBLIOGRAFIA
RUSSEL, D. Men of courage: a study of Elijah and Elisha. Oxford: Christian Focus, 2011.
SWINDOLL, C. R. Elias: um homem de heroísmo e humildade. São Paulo: Mundo Cristão, 2001.
 
Fonte: blog do Prof. José Roberto A. Barbosa